Bolsa família: Entenda como funciona, como conseguir e MUITO MAIS!

Apesar de muitos falarem sobre o Bolsa família e até criticarem, a maior parte das pessoas não entende como funciona o principal programa social do governo federal. E sem conhecimento a respeito do tema, tudo que se fala se torna sim um preconceito.Para você sair da turma que fala sobre o Bolsa família sem saber o que é o Bolsa família, este texto é a solução dos seus problemas. Veja nos tópicos a seguir tudo sobre o principal programa social do governo federal!

O que é Bolsa família?

O Bolsa família é um programa social que uniu outros programas sociais criados na década de 80, como vale gás e o bolsa escola.Essa união gerou o maior de todos os programas sociais que se tornou o principal responsável pela erradicação da fome no Brasil nos últimos anos.

Ele é um programa de transferência de renda. O governo paga um valor mensal para as famílias cadastradas terem o mínimo de comida, água e outros produtos de extrema necessidade em casa. No total são cerca de 14 milhões de famílias atendidas pelo Bolsa família em todo o país.

bolsa família

Como funciona?

Para fazer parte do Bolsa família e receber os recursos do programa é preciso que o núcleo familiar participe de uma entrevista e entrega de documentos em centros de assistência social espalhados pelas cidades do país. A partir dessa análise é definido se a família pode fazer parte do chamado Cadastro Único.

Esse Cadastro Único é um número que permite a pessoa e a família de participar de diversos programas sociais do governo. A depender da renda da família ela é incluída no Bolsa família e passa a receber valores todo mês por meio de um cartão próprio do programa. A retirada do dinheiro é feito em lotéricas ou na Caixa Econômica Federal.

Como conseguir?

Para se cadastrar no Bolsa família é preciso que você vá até o centro de assistência social da sua cidade com todos os documentos da sua família: RG, CPF, Certidão de Nascimento das crianças, comprovante de matrícula na escola, comprovante de residência e de renda, se tiver.

Junto a esses documentos, os profissionais do centro de assistência social vão fazer o Cadastro Único e depois disso é esperar que o Ministério de Desenvolvimento Social e Combate à Fome selecione a sua família para receber o benefício.

Essa seleção é feita mensalmente e usa como critérios a composição da família e a renda. Na hora de fazer a sua inscrição no centro de assistência social já dá para se ter uma ideia se o Ministério vai aprovar ou não a participação da sua família no programa.

bolsa família

Cadastro

O Cadastro Único é uma forma que o governo federal conseguiu de organizar as pessoas e famílias que recebem benefícios dos programas sociais. Para fazê-lo é bem simples, basta levar os seus documentos e da sua família para o centro de assistência social mais próximo da sua casa.

O Cadastro Único te dá direito de participar de vários programas sociais, não apenas do Bolsa família.

Tabela Bolsa Família 2018

A tabela de pagamentos do Bolsa família varia de valores entre os 85 reais mensais até 195 reais por  mês. Em casos de famílias em situação de extrema pobreza, o máximo que ela pode chegar a receber é 372 reais por mês.

A tabela de pagamentos vai depender do tipo de auxílio, da quantidade de pessoas que recebem e do valor pago pelo governo federal.

Calendário 2018

O calendário com as datas dos pagamentos está disponível no site da Caixa e também nas lotéricas de todo o país. Se você for a alguma lotérica, vai ver o calendário colado na parede dela com todas as datas de pagamento do mês em questão.

Aplicativo

Se você tem celular e acesso à internet, pode também baixar o aplicativo do Bolsa família e ver a data correta para a retirada do seu benefício todos os meses do ano. Para baixar é só entrar na Apple Store, Windows Play ou na Google Play e procurar pelo programa Bolsa família.

Caso ainda tenha restado alguma dúvida sobre o programa Bolsa família, deixe o seu comentário aqui embaixo, e não deixe de ler o texto sobre Extrato Dap!

Extrato DAP: Veja como acessar o seu com facilidade!

Uma das formas que o governo encontrou de conseguir formalizar e organizar os pequenos agricultores brasileiros foi com a criação do extrato DAP.  Apesar disso, poucos ainda sabem para que serve esse documento e como se cadastrar nele.

Se você é uma dessas pessoas, os seus problemas acabaram. Nos tópicos a seguir você vai entender, de uma vez por todas, o que o extrato DAP, como cadastrá-lo e outras dúvidas recorrentes de quem tem esse direito. Confira!

O que é Extrato DAP?

O DAP é a Declaração de Aptidão do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar. Ou seja, todos os agricultores que fazem parte desse programa que tem a sigla de Pronaf possuem o direito de ter um documento que é o DAP.

extrato dap

Esse DAP serve para que os agricultores tenham acesso aos programas sociais do governo federal que eles podem receber algum tipo de auxílio ou outro benefício. Em contrapartida, o estado tem em suas mãos os dados de todos os agricultores inscritos para poder se organizar e fazer políticas públicas com essa base de dados importante.

O DAP é uma forma de controle do estado e, ao mesmo tempo, uma facilidade para os pequenos agricultores terem acesso aos auxílios e programas sociais do governo voltados para eles.

Como funciona?

Para se ter o DAP é preciso que o agricultor seja cadastrado no Pronaf. A partir daí, é só ele procurar o órgão na cidade dele que responde pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário e levar documentos, como o RG, o CPF, ITR, se tiver, e outros que mostrem e comprovem dados a respeito da propriedade rural.

Se for pessoa jurídica, também é preciso levar o contrato social da empresa e também documentos que informem a respeito dos trabalhadores.

Ao apresentar todos esses dados, o atendente do Ministério vai fazer o seu cadastro e você vai ter acesso ao extrato DAP.

Como consultar?

O extrato DAP nada mais é do que a consulta da sua situação no Pronaf e como agricultor registrado no Ministério do Desenvolvimento Agrário. No extrato DAP você vai ver seus dados, os da sua propriedade rural, dos trabalhadores, da renda que você tem, do tipo de produção que faz, além de ter acesso aos programas sociais que você pode participar.

É uma forma bem simples de facilitar a vida do pequeno agricultor para que ele receba os diversos benefícios que o governo federal oferece a esses trabalhadores.

Para acessar o extrato DAP é preciso que você entre no site do sistema DAP, coloque os seus dados e consulte todas as informações a respeito da sua propriedade rural e dos benefícios que tem direito.

O funcionamento é o mesmo para pessoa física ou jurídica. Caso esteja sem os seus documentos em mãos, é possível também pesquisar as propriedades pela cidade.

extrato dap

Emitir o Extrato Dap

Para emitir o seu extrato DAP é só abrir o site do sistema, colocar seus dados e emitir o documento. Caso não tenha acesso à internet com facilidade, você também pode ir à sede do Ministério do Desenvolvimento Agrário na sua cidade e pedir para que o atendente emita o extrato DAP.

É bom lembrar que ter o acesso pela internet é uma grande vantagem para o produtor rural, que vai poder ver quais programas sociais ele se encaixa e já se inscrever neles para receber os auxílios e benefícios.

Informações gerais

Para mais informações a respeito do extrato DAP, entre no site do Ministério do Desenvolvimento Agrário e veja na página oficial do Pronaf tudo o que precisa a respeito desse documento.

É lá no site do Ministério que é possível fazer o acesso ao sistema DAP. É só informar os documentos, clicar no link da pesquisa e emitir o seu extrato DAP.

O extrato DAP é um grande benefício e facilitador para a vida do pequeno agricultor e também uma forma eficiente que o estado descobriu para poder organizar as informações a respeito das pequenas propriedades rurais espalhadas por todo o território nacional.

Leia mais conteúdo interessante no texto sobre GPS em atraso!

Caso tenha gostado deste texto e conhece outros agricultores que precisam entender mais a respeito do extrato DAP, compartilhe estas informações com eles por meio das suas redes sociais e aplicativos de mensagens!

GPS em atraso: Saiba o que fazer se ficar nessa situação!

Apesar de todos os problemas relacionados à Previdência Social, ela é ainda uma das melhores formas de se aposentar com a garantia de que vai receber aquela remuneração pelo resto da vida. Porém, algumas pessoas esquecem ou deixam de pagar a mensalidade da Previdência e ficam com o  GPS em atraso. 

Neste texto, você vai entender o que é o GPS em atraso, quais problemas ele pode causar, como acabar com essas pendências e outras dúvidas sobre o tema. Veja!

O que é GPS em atraso?

O GPS é o Guia de Previdência Social. É um estilo caderneta que você preenche e paga todo mês em uma lotérica, banco e até mesmo na sede da Previdência na sua cidade. Essa guia precisa ser paga no dia certo de todo mês, como se fosse um boleto ou conta qualquer.

Quando você não paga a guia no tempo certo, você fica com o GPS em atraso. Ou seja, devendo a Previdência Social. Isso pode gerar uma série de problemas, inclusive, o mais grave de todos, que é não receber a sua aposentadoria no tempo certo. Por isso, é preciso pagar a guia na data correta e não deixar atrasar. Se isso não for possível, tem como reverter a situação.

Empresa

Muito se fala sobre o rombo da Previdência Social, que ela precisa ser reformada e que o país não vai aguentar pagar a quantidade de aposentados daqui a alguns anos. O principal motivo disso tudo é o fato de que muitas empresas brasileiras estão com o GPS em atraso.

A dívida de empresas com a Previdência chega ao nível dos 500 bilhões de reais. O rombo total da Previdência Social, ou seja, o quanto ela deve, é de menos de 300 bilhões de reais. Ou seja, se todas as empresas pagarem o seu GPS em atraso, não haveria rombo algum na Previdência Social.

Se a sua empresa se encontra nessa situação de dever a Previdência, a solução é simples. Basta você ir até a sede da Previdência da sua cidade, conversar com algum dos atendentes e negociar a sua dívida e as formas de pagamento. É possível já sair de lá com uma nova guia que vai te deixar fora da lista das empresas devedoras da Previdência Social.

Autônomo

Trabalhadores autônomos, inclusive os microempreendedores individuais, também pagam a guia de Previdência Social. Se você está com o seu GPS em atraso, a dica é a mesma: procure a sede da Previdência e negocie a sua dívida.

No caso do MEI, é possível no próprio site do programa retirar as guias de pagamento de impostos com um novo valor e data de validade. Assim, é só ir à lotérica, banco, ou pagar pelos aplicativos.

Doméstica

Empregados e empregadas domésticas e pessoas do lar podem pagar também a guia de Previdência Social. No caso dos empregados domésticos, é obrigação do patrão assinar a carteira de trabalho e pagar os direitos trabalhistas, como o GPS, o FGTS, o seguro-desemprego, entre outros.

Já as pessoas que trabalham em casa podem pagar por conta própria o seu GPS. Basta ir à sede da Previdência Social, dizer que é do lar, pegar a guia e começar a fazer os pagamentos.

Como pagar GPS em atraso?

O GPS em atraso pode ser pago em lotéricas. O ideal é você calcular os dias de atraso e preencher a guia manualmente. Caso tenha dificuldade em fazer isso, é só ir à sede do INSS que lá eles vão resolver o seu problema. Em algumas casas lotéricas, os próprios atendentes fazem as mudanças, mas não é uma regra.

O mais seguro é ir mesmo à sede do INSS e fazer o novo cálculo para saber o quanto você deve do seu GPS em atraso. O pagamento também pode ser feito em bancos e caixas eletrônicos.

Como emitir?

Não é necessário emitir uma nova guia para pagar o seu GPS em atraso. É só calcular os dias de dívida e adicionar ao valor que você já paga mensalmente.

Caso queira fazer isso com maior segurança, vá até a sede da Previdência Social e peça para o atendente modificar o valor.

gps em atraso

Como calcular?

O site da Receita Federal tem um aplicativo que faz a conta para você, sem que você precise fazer cálculo algum. É só entrar na página, procurar a parte de calcular o GPS em atraso, colocar as informações que o valor é calculado pelo programa.

Como atualizar?

Para atualizar o valor pago do seu GPS em atraso, é só preencher a guia manualmente e fazer o pagamento em um banco ou lotérica.

O valor você vai descobrir pelo site da Receita Federal, aí é só escrever na guia e pagar.

Se preferir, faça isso na sede do INSS da sua cidade. Lá os atendentes estão preparados para resolver o seu problema em poucos minutos.

Juros e multas

Cada tipo de Previdência Social gera um tipo de juro e de multa. No caso dos empregados e empregadas domésticas, por exemplo, o patrão paga 0,33% de multa por dia não pago após a data de vencimento.

Normalmente, o valor da multa e dos juros não é muito alto. Para saber o seu em específico, entre no site da Receita Federal ou da Previdência Social e veja o valor cobrado para a sua ocupação.

Leia também o texto sobre Como tirar título de eleitor!

Caso ainda tenha alguma dúvida sobre o GPS em atraso, deixe o seu comentário aqui embaixo!

CNH Digital: O que é? Como funciona? Veja AQUI!

Com data final de implantação em 01 de fevereiro de 2018, a nova CNH digital já está disponível em todos os DETRANs dos 27 estados brasileiros.Com diversas vantagens na hora de consultar e portar o seu documento de habilitação, essa modalidade é uma tendência brasileira de modernização dos documentos de identificação obrigatórios.

Confira nesse artigo um pouco mais sobre a nova CNH e como você pode começar a usufruir dessa tecnologia.

O que é CNH Digital?

A CNH digital é a versão virtual do documento de habilitação padrão, utilizado até então apenas em formato impresso, e aponta como o primeiro documento digital de identificação civil dos brasileiros.

Para utilizar o serviço é preciso que a sua carteira impressa seja emitida na nova versão, que vem acompanhada da impressão de um QR Code na parte interna da carteira.cnh digital

Como funciona?

O documento digital funciona trazendo diversas funcionalidades que tornarão o uso da habilitação e acesso a informações, muito mais fácil e prático.

Confira abaixo as principais vantagens de se adotar a CNH digital:

  • Mais prática: O documento terá a mesma validade do documento impresso e poderá ser utilizado a qualquer tempo por meio do seu celular.
  • Mais segura: Para ajudar a evitar fraudes e possíveis falsificações do documento, a nova CNH mantém as informações criptografadas no seu aparelho, sendo seu uso exclusivo por meio do seu celular pessoal.
  • Mais útil: Por meio do aplicativo você poderá gerar uma versão em PDF do seu documento. Essa versão funciona como um documento autenticado da sua habilitação e poderá ser utilizado tanto para fins públicos como privados, oficialmente.
  • Mais econômica: Com essa versão você economiza na autenticação e impressão do documento.

Além de todas essas vantagens você não precisará de conexão com a internet para acessar sua carteira. No primeiro acesso será baixada uma versão offline que poderá ser consultada a qualquer tempo.

App CNH digital

O aplicativo da versão digital da sua carteira de habilitação é a porta de entrada para acessar o documento a qualquer tempo. Ele irá funcionar como a sua carteira de documentos, e por meio do celular, mediante senha, ela é exibida.

Em caso de roubo ou perda do seu aparelho celular basta entrar no Portal de Serviços do DENATRAN e fazer o bloqueio do seu documento digital. Contudo o acesso a ele, mesmo em mãos indevidas, só será possível mediante senha.

Como fazer o cadastro?

Para começar a desfrutar das vantagens da CNH digital você precisará instalar o aplicativo e fazer o cadastro do documento junto ao DENATRAN.

Confira abaixo o passo a passo para obter a sua:

  1. Como citado anteriormente, antes de tudo, sua CNH deverá ser a versão com impressão do QR Code na parte interna. Caso não tenha você deverá fazer a renovação da mesma.
  2. Agora é hora de baixar o aplicativo. Procure por “CNH Digital” nas Lojas iTunes (iOS) e Play Store (Android) e faça a instalação do app.
  3. Aplicativo instalado, você precisará fazer o seu cadastro no portal de serviços do DENATRAN, por meio desse link. O cadastro é rápido e serão solicitadas apenas informações pessoais.
  4. Feito isso você deverá proceder até o DETRAN que emitiu a sua carteira de motorista. Isso é necessário para que os seus dados cadastrais sejam confirmados presencialmente.
  5. Depois de já ter feito o cadastro no DENATRAN e confirmado seus dados no DETRAN, você deverá solicitar um código de ativação, que será enviado para o seu e-mail previamente cadastrado.
  6. Acesse o aplicativo baixado no inicio desse passo a passo e entre com as suas informações de senha de acesso ao portal e código de ativação, para entrar. Pelo fato de a senha do DENATRAN ser extensa e para facilitar o acesso, a primeira vez que acessar o app será pedido para cadastrar uma nova senha de 4 dígitos.

Vale em todo Brasil?

Sim. Você poderá utilizar o seu documento nos 27 estados da federação, sem restrições que o defiram da versão impressa. Quando solicitada basta abrir o seu aplicativo e apresentar a versão digital.

Lembre-se, a CNH digital é apenas mais uma opção na hora de portar o documento, não sendo obrigatório o seu uso. A versão impressa continuará a ter a mesma validade legal e sua impressão pelos órgãos responsáveis não será cessada.

Gostou do assunto? Leia também o texto sobre o E-Título e deixe seu comentário!

E-título: O que é? Como funciona? Como validar?

Com a intenção de tornar mais fácil e rápido os diversos processos que envolvem a emissão e apresentação do seu titulo de eleitor, assim como na hora de votar, o governo federal lançou o E-título, um titulo de eleitor totalmente digital que pode ser apresentado e transportado por meio do seu celular.

Confira nesse artigo um pouco mais a respeito dessa modalidade de título de eleitor digital e como proceder para fazer parte dessa nova tecnologia. Vamos lá?

O que é o E-título?

Motivado pelo Tribunal Regional Eleitoral do Acre, que fez a proposta inicial de implementação dessa tecnologia, o Tribunal Superior Eleitoral acatou a ideia do E-titulo e começou a sua implantação nacional em dezembro de 2017.

O E-título basicamente é uma modalidade digital do título de eleitor. Toda a informação do seu documento fica armazenada em um aplicativo do governo federal, não sendo necessário andar portando-o.

Em caso de necessidade de apresentação do título, a versão digital tem a mesma validade do documento impresso.

Todo o processo de instalação do aplicativo, assim como o seu uso, é descomplicado e sem custos para o cidadão. Basta baixar o app e validar o seu título de eleitor para ser usado nele.

Mais abaixo mostraremos como validar o seu documento.

e-título

Como funciona?

O E-título funciona como uma versão digital do seu título de eleitor, como dito anteriormente, e pode ser usado normalmente como de costume na versão impressa do documento.

Ao validá-lo você poderá manter o titulo físico guardado.

Essa tecnologia acompanha uma tendência de modernização tecnológica dos documentos brasileiros. A exemplo temos a CNH digital e o início do projeto de implantação da carteira de identidade digital unificada.

Além de ter acesso ao seu título de eleitor pelo aplicativo, você também poderá saber informações a respeito da sua situação de quitação eleitoral e ainda consultar, com apresentação de um mapa, o seu local de votação.

Outro beneficio do e-título é que o documento fica cadastrado no aplicativo com uma foto de rosto sua, dessa maneira, é dispensada a necessidade de levar um documento com foto na hora da votação.

Para que a opção de exibição de foto esteja disponível, é necessário que o eleitor tenha recadastrado o seu documento com a opção de biometria, momento em que será tirada uma foto sua.

O recadastro pode ser feito no tribunal eleitoral da sua região.

Como baixar o E-título?

Baixar o aplicativo é simples e rápido, o programa é leve e não irá atrapalhar o funcionamento de outras funções do seu celular. Confira abaixo o passo a passo para baixar o aplicativo e começar a usar a versão digital do seu documento de eleitor:

  1. Antes de qualquer coisa você precisará acessar o app padrão de instalação de novos aplicativos do seu celular. Em celulares com sistema operacional Android vá até a Google Play Store e nos celulares iPhone vá até a App Store.
  2. Dentro do aplicativo vá a “Localizar” e procure por E-título, que deverá ser exibido. Confira se o desenvolvedor do app é a Justiça Eleitoral Brasileira e clique em “Instalar”. Todo o processo de download e instalação será executado automaticamente, como de costume.
  3. Pronto! Seu E-título foi instalado. Para acessá-lo basta clicar no ícone criado na sua lista de aplicativos. Agora é hora de validar o seu titulo para ser usado pelo celular.

e-título

Como validar?

Com o aplicativo instalado e aberto pela primeira vez, serão solicitados diversos dados pessoais. Você deverá preencher com as informações do seu nome, data de nascimento, número do título, nome da mãe e nome do pai e clicar em “Acessar”.

Estando todas as informações de acordo com os dados cadastrados no Tribunal Superior Eleitoral, seu título digital será validado e já poderá ser usado como um documento válido em todo o território nacional.

Depois de validado você não precisará de conexão ativa com a internet para acessar o seu documento, ele é baixado no celular automaticamente e fica disponível em uma versão offline.

Tornar os documentos de uso rotineiro mais tecnológicos é uma tendência mundial e facilita muito na hora de utilizá-los, tornando-os mais seguros e práticos.

Por isso, caso não tenha cadastrado seu título ainda, faça o quanto antes.

Simples Nacional ou MEI: Saiba aqui qual opção é a MELHOR!

Sempre surgem diversas dúvidas na hora de abrir uma empresa, as regras das várias modalidades de CNPJ são diversas e é preciso escolher aquela que melhor se encaixe ao seu perfil empreendedor. Nesse artigo ajudaremos você a decidir entre esses dois tipos, simples nacional ou MEI.

Para facilitar o entendimento abordaremos as principais características de cada uma dessas modalidades de empresa e como é realizada a sua abertura.

Características do MEI

A MEI é um tipo de empresa direcionada a micro empreendedores individuais e é atualmente a modalidade mais simples, barata e rápida de abrir uma nova empresa, porém esse tipo de CNPJ possui algumas regras que limitam o seu faturamento e quantidade de funcionários.

Confira suas principais características:

  • A empresa do tipo MEI permite faturamento anual de até R$ 60 mil, ou seja, até R$ 5 mil mensais. Caso a previsão anual de faturamento seja superior aos R$ 60 mil é preciso mudar a modalidade do tipo de empresa.
  • O empreendedor que for abrir a MEI não pode possuir sócios na empresa e nem mesmo ser sócio ou administrador de nenhuma outra empresa.
  • Com remuneração de até 1 salário mínimo, a empresa na modalidade MEI só pode possuir 1 funcionário.
  • A pessoa que irá abrir a empresa deve atuar em algum dos ramos de atividades permitidas pela lei (no site do microempreendedor você encontra a lista de atividades permitidas).

É preciso pagar mensalmente a guia de recolhimento DAS, com o pagamento das guias em dia você garante sua aposentadoria por idade e invalidez, auxílio doença e salário maternidade. Para os dependentes, auxílio reclusão e pensão por morte.

Abrir um MEI é simples e rápido, esse tipo de empresa não exige contador e todo o processo de abertura, emissão de notas e gerenciamento da sua empresa pode ser realizado por meio do portal do empreendedor do governo federal.

simples nacional ou mei

Características do Simples Nacional

O Simples Nacional é um sistema de tributação criado para deixar menos burocrática e mais barata a regularização fiscal de micro e pequenas empresas.

Confira suas principais características:

  • As micro empresas optantes pelo simples nacional devem possuir faturamento anual de até no máximo R$ 360 mil, enquanto as pequenas empresas optantes pelo mesmo regime de até R$ 3,6 milhões.
  • Ao invés de ser necessário calcular separadamente e com datas de vencimento diferentes todos os impostos de pequenas e micro empresas, na opção do simples nacional esses impostos são calculados em uma única guia.
  • Diminuição da carga tributária de microempresas com tributação por lucro presumido.
  • Não há a obrigação de o empregador arcar com os 20% de taxa referente ao INSS patronal na contratação de funcionários. Dessa forma, manter funcionários regulares fica menos oneroso.
  • Não há limitação quanto ao número de funcionários permitidos por CNPJ e nem o impedimento de haverem sócios na empresa.

simples nacional ou MEI

Simples Nacional ou MEI: Qual é melhor?

Quando se faz uma análise comparativa das duas modalidades de empresa, a optante pelo Simples Nacional e a do tipo Micro Empreendedor Individual, fica claro as características distintas das duas opções.

A MEI é um tipo de empresa que possui limitações mais rígidas de faturamento, sócios e número de funcionários, porém é uma empresa barata e que não possui a incidência de muitos impostos, funcionando bem para aquele que estão começando e desejam se formalizar.

Já o Simples Nacional é direcionado as micro e pequenas empresas, não ao microempreendedor como é o caso do MEI.

Nela o faturamento pode ser maior, assim como o número de funcionários e a quantidade de sócios. Nessa modalidade a empresa possui maior capacidade de crescimento e investimentos.

Portanto não há melhor nem pior quando a escolha é Simples Nacional ou MEI, o melhor é aquela que gerará menos custos sem limitar o funcionamento regular da sua empresa.

Por exemplo, se você possui um negócio que não possui faturamento anual superior a R$ 60 mil e também não tem a necessidade de muitos funcionários ou sócios, não tem motivos para optar pelo Simples Nacional, isso apenas aumentará os seus custos.

Agora, caso sua empresa esteja crescendo, precisando de novos funcionários e com faturamento em ascensão, o próximo passo a ser tomado depois da MEI é tornar sua microempresa optante pelo Simples Nacional. Tudo vai depender do perfil da sua empresa e das suas pretensões de crescimento a médio e longo prazo.

Declaração MEI: Veja o passo a passo simplificado de como fazer!

Todos empreendedores formalizados por meio do MEI devem fazer anualmente uma declaração dos valores de faturamento do seu empreendimento. Essa declaração garante que sua empresa continue aberta regularmente e deve ser feita no período de 01 de janeiro a 31 de maio de cada ano.

Por esse motivo é importante manter sempre registrado, por meio de um livro caixa, todos os valores movimentados pela sua empresa. Confira abaixo mais a respeito de como fazer sua declaração MEI e como proceder caso tenha perdido o prazo ou errado algum dado.

Passo a passo para fazer a declaração do MEI.

  1. Acesse o site do Portal do Empreendedor 
  2. No menu em que está escrito Já sou MEI, clique em “Serviços”.
  3. No menu que irá abrir você deve clicar na opção “Faça Sua Declaração Anual de Faturamento” e logo após em “Enviar Declaração”, no submenu que será exposto.
  4. Será solicitado o número do CNPJ da empresa referente a declaração, preencha e clique em continuar.
  5. Na tela que se abrirá você deverá marcar o ano referente a sua declaração na linha “Original” e clicar em “Continuar”.
  6. Feito isso serão solicitadas as informações referentes a valores faturados, por isso é tão importante manter o registro financeiro de todas as movimentações da sua empresa. Tomando nota de tudo que vendido por cartão, boleto ou dinheiro.

Na primeira linha do formulário será solicitado o valor da receita bruta total, ou seja, você vai declarar a sua venda bruta sem descontar os valores de custos da empresa. Nessa primeira linha deverá ser declarado o valor total dos produtos ou serviços vendidos dentro da sua cidade.

Na segunda linha você irá colocar os produtos e serviços que você vendeu fora da sua cidade. Caso não haja vendas fora do município ou estado o valor deve ser preenchido com 0,00.

Na terceira linha será perguntado se você possuiu funcionário no período da declaração, marque sim ou não e clique em “Continuar”.

  1. Aparecerá uma tela com o nome do micro empreendedor individual e a listagem de todas as guias DAS do ano de referência. Lembre-se, você só consegue gerar sua declaração se todas as guias estiverem pagas, caso contrário deverá fazer-lo.
  2. Tudo certo, basta clicar em “Transmitir”.
  3. Será aberta uma tela confirmando a entrega da declaração e com a opção de imprimir o recibo da operação. Clicando no ícone da impressora a declaração será baixada automaticamente no seu computador em formato PDF, guarde o arquivo.

Lembre-se, a receita federal recomenda que você mantenha esse recibo de declaração impresso por pelo menos 5 anos, por isso imprimir-la e guardar-la junto aos seus documentos por esse período é muito importante.

como fazer declaração do mei

O que fazer se a minha declaração estiver atrasada?

A regra de prazo para fazer a declaração MEI é de até o dia 31 de maio de cada ano,por isso caso você faça sua declaração após esse período será cobrada uma multa referente ao atraso.

A multa é praticamente simbólica, o valor cobrado é de R$ 25, porém como o prazo para fazer a declaração é bastante extenso não tem motivo para atrasar com as suas obrigações fiscais, procure manter esses assuntos sempre em dia para evitar possíveis transtornos.

O processo para fazer a declaração em atraso é o mesmo realizado para a declaração dentro do prazo, com a diferença de que ao final do processo será gerado junto com o recibo de declaração um boleto com a multa que deverá ser paga até a data de vencimento.

Na situação da multa não ser paga dentro do prazo de vencimento, o empreendedor deverá proceder até uma unidade da Receita Federal da sua cidade para que seja gerado um boleto com uma nova data.

Declaração MEI retificadora

Caso você tenha percebido algum erro na sua declaração, poderá estar fazendo a retificação da mesma. Para isso acesse o site para fazer a declaração normalmente, marcando a opção “Retificadora” no “Tipo de Declaração”, logo abaixo do campo “Original”.

Feito isso basta selecionar o ano de referencia da sua declaração retificadora e realizar novamente todo o procedimento de preenchimento de dados da declaração, corrigindo os erros apresentados.

Viu como é fácil e prático manter as declarações da sua empresa em dia? Por isso não há motivos para atrasar com as suas obrigações. Mantenha sempre as questões fiscais da sua empresa em dia, a fim de evitar transtornos futuros.

 

Como abrir uma MEI? Será que vale a pena ser microempreendedor individual?

Com o nível de desemprego em alta e na busca por outras formas de renda que não o emprego tradicional, cada vez mais pessoas estão procurando trabalhar de maneira autônoma, e uma forma de formalizar esse trabalho e garantir direitos, como o INSS, é abrindo uma micro empresa individual, a MEI.

Por meio desse artigo vamos lhe mostrar como abrir uma MEI e tirar suas principais dúvidas a respeito dessa modalidade de empresa, acompanhe.

Passo a passo para abrir uma MEI

Abrir uma MEI é um passo a passo bem simples, em que praticamente tudo é feito pela internet, o que torna o trâmite ainda mais fácil. Nos passos a seguir nós simplificamos qual é o caminho para você quer que se tornar um Microempreendedor individual.

  1.  Acesse o site www.portaldoempreendedor.gov.br .
  2. Você verá na página inicial do site duas opções, Quero Ser e Já Sou. Clique na opção FORMALIZE-SE no menu Quero Ser.
  3. Abrirá uma página de Nova Inscrição, nessa página você deve preencher seus dados de CPF e Data de Nascimento e clicar em Continuar.
  4. Abrirá um segundo menu solicitando seus dados de titulo de eleitor e uma verificação de segurança, preencha e clique em Prosseguir.
  5. Na página que irá se abrir você deverá preencher com o restante das suas informações pessoais, além do nome fantasia da sua empresa e algum valor de capital inicial, esse valor você decide. Uma dica é colocar o valor total permitido que é o de R$ 60 mil.
  6. Depois de preencher as informações pessoais você deverá continuar preenchendo com as informações a respeito da atividade da sua empresa. Nessa parte será pedida qual a sua ocupação principal e secundária, você deve preencher conforme o ramo que irá atuar.
  7. Mais abaixo, no mesmo formulário, você deverá preencher as informações de endereço de onde funcionará sua empresa, assim como os dados do seu endereço residencial.
  8. Por fim você irá marcar as Declarações de Desimpedimento, que são as declarações de que você está apto a abrir a MEI, clique em Continuar.
  9. Após o processamento será fornecido um certificado de condição de micro empreendedor. Você deve salvar essa documentação e manter-la impressa e guardada. Caso você for abrir uma conta jurídica, por exemplo, deverá levar esse certificado na abertura da mesma.
  10. Agora que você já sabe como abrir uma MEI, é hora de ficar atento as obrigações mensais de pagamento da guia de contribuição:

Você deverá pagar a guia de contribuição mensal (DAS) até o dia 20 de todo mês para garantir os seus benefícios.

Os valores da guia DAS são de R$ 47,85 (comércio e indústria), R$ 51,85 (prestação de serviços) ou R$ 52,85 (comércio e serviço).

Para emitir sua guia basta entrar no portal do empreendedor, ir em Microempreendedor Individual e clicar em Emitir Guia (DAS-MEI). Será solicitado o CNPJ da sua empresa para que a guia seja emitida.

microempreendedor individual

Vale a pena abrir uma MEI?

A MEI é uma modalidade de empresa para pequenos empreendedores, com ela o custo de abertura é zero e você apenas terá que contribuir mensalmente com o INSS, garantindo seus benefícios básicos desse serviço, como aposentadoria.

Portanto, para aqueles que buscam uma maneira barata e prática de se formalizar, a MEI se mostra uma opção bastante vantajosa quando comparada as outras modalidades de empresa, valendo muito a pena a sua abertura.

Quais são as características do MEI?

Confira abaixo as principais características da MEI e se essa modalidade de empresa se encaixa ao seu perfil empreendedor:

A MEI permite faturamento anual de até R$ 60 mil, uma média de R$ 5 mil mensais. Passando desse valor o tipo de empresa já deve ser outro.

A pessoa que for abrir a MEI não pode ser sócia ou administradora de outra empresa.

É permitido ter até um empregado pela empresa, com remuneração de até no máximo um salário mínimo vigente.

O empreendedor deve atuar em algum dos diversos ramos de atividades permitidas pela lei (no site do microempreendedor você encontra a lista de atividades permitidas, são várias)

Por meio da contribuição mensal da guia DAS o empreendedor goza de direitos como aposentadoria por idade e invalidez, auxílio doença e salário maternidade. Para os dependentes, auxílio reclusão e pensão por morte.

Viu como é fácil formalizar o seu negócio por meio da MEI? Além de poder emitir nota aos seus clientes você ainda fica segurado quanto aos direitos trabalhistas básicos. Se você é empreendedor e trabalha de forma autônoma, abrir uma MEI pode ser uma ótima idéia.

Veja também um vídeo sobre dicas para quem é MEI:

Se mesmo depois desta explicação você ainda tiver ficado com dúvidas em relação ao MEI, deixe o seu comentário e responderemos o quanto antes!

 

Calendário FGTS 2018: Prazo para saque é prorrogado! Veja as informações!

Em 2017, o governo liberou o saque do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) para as pessoas que possuíam contas inativas de vínculos empregatícios anteriores. O objetivo era depositar 43,6 bilhões de reais nas contas inativas dos trabalhadores brasileiros. Como nem todos sacaram seus valores, o prazo para saque será prorrogado até 2018. Confira as informações sobre o Calendário FGTS 2018.

Como funciona o Calendário FGTS?

O calendário para o depósito do FGTS inativo foi dividido de acordo com a data de nascimento dos trabalhadores e os pagamentos foram liberadores de acordo com o cronograma para saque.

Aniversário em: Prazo inicial para saque Prazo final para saque
Janeiro 10/03/2017 31/07/2017
Fevereiro 10/03/2017 31/07/2017
Março 10/04/2017 31/07/2017
Abril 10/04/2017 31/07/2017
Maio 10/04/2017 31/07/2017
Junho 12/05/2017 31/07/2017
Julho 12/05/2017 31/07/2017
Agosto 12/05/2017 31/07/2017
Setembro 16/06/2017 31/07/2017
Outubro 16/06/2017 31/07/2017
Novembro 16/06/2017 31/07/2017
Dezembro 14/07/2017 31/07/2017

Calendário FGTS 2018: Saques do FGTS é prorrogado até o fim de 2018

Embora a grande maioria dos brasileiros tenha conseguido sacar o dinheiro das contas inativas do FGTS, totalizando mais de 41 bilhões de reais, ainda existem pessoas que não compareceram à Caixa Econômica Federal para sacar o saldo de suas contas inativas.

Por essa razão, o Governo Federal decretou a prorrogação do prazo para saque do dinheiro até 31 de dezembro de 2018, para os trabalhadores que não conseguirem comparecer na Caixa até dia 31 de julho, data limite para saque em 2017. Porém, existem restrições para o saque.

Calendário FGTS 2018 imagem da carteira de trabalho junto com notas de real

Quem pode receber o FGTS inativo em 2018?

Os critérios para saque do saldo de contas inativas do FGTS permanecem os mesmos: só tem direito a sacar o valor do fundo de garantia inativo as pessoas que pediram demissão ou foram demitidas por justa causa até o dia 31 de dezembro 2015.

Porém, quem deseja realizar o saque do FGTS inativo em 2018 precisará realizar uma justificativa junto à Caixa Econômica Federal, explicando os motivos pelos quais não foi possível realizar a retirada do saldo dentro do prazo pré-estabelecido em 2017.

Ao comunicar a prorrogação do prazo, o Governo Federal afirmou que o adiantamento da data limite só será válida para casos específicos, como para as pessoas que estão presas ou com doenças graves.

Outros casos como o de pessoas que tiveram problemas com seus antigos empregadores ou que tiveram algum erro identificado em seu cadastro não serão aceitos e o saldo disponibilizado voltará ao fundo de garantia.

Calendário FGTS 2018

A Caixa Econômica Federal é responsável pela divulgação do cronograma de saque do FGTS inativo em 2018, porém, o banco ainda não anunciou o calendário com as datas iniciais e limites para os saques pendentes das contas inativas.

Como sacar o FGTS?

Existem quatro maneiras de se realizar a retirada do saldo das contas inativas do fundo de garantia.

  • Nas agências da Caixa: para realizar o saque, o trabalhador precisará comparecer até uma agência, portando o número do PIS/PASEP, documento de identidade com foto e comprovante de término de contrato de trabalho. Também é possível utilizar a Carteira de Trabalho.
  • Caixa Aqui ou Lotéricas: para a retirada do dinheiro, é necessário a apresentação de documento de identidade com foto, cartão cidadão com a senha. O valor máximo para o saque do dinheiro é de R$3 mil.
  • Crédito em conta corrente: os trabalhadores que possuem conta corrente na caixa poderão autorizar o recebimento do saldo diretamente na conta. A solicitação pode ser feita através do seguinte endereço: www.caixa.gov.br/contasinativas.
  • Terminais de autoatendimento: para realizar o saque automático, basta comparecer em postos de autoatendimento com o cartão cidadão em mãos. Quem possui a senha do cartão cidadão pode realizar um saque de até R$3 mil. Já as pessoas que não se lembrarem da senha, podem realizar uma retirada de até R$1,5 mil.

Logo da caixa junto a logo do Calendário FGTS 2018

Como consultar o extrato FGTS

Para ter acesso ao extrato do saldo das contas inativas do fundo de garantia, o trabalhador tem a opção de dois canais oficiais da Caixa Econômica Federal. No próprio site, no endereço www.caixa.gov.br/contasinativas, ou através do telefone 0800 726 2017, em que é possível consultar os valores disponíveis para saque.

Uma informação que deve ser lembrada é que para realizar a consulta do extrato do saldo de contas inativas do FGTS via site da Caixa ou telefone é preciso ter em mãos o número PIS, do CPF ou do cartão cidadão.

É importante lembrar também que, mensalmente, a Caixa Econômica Federal envia, através dos Correios, um extrato impresso com os lançamentos recentes do fundo de garantia do trabalhador que está com seu endereço atualizado nos bancos de dados da Instituição.

Pesquisando sobre o FGTS? Talvez também se interesse por: Tudo sobre o FGTS e Aplicativo FGTS

Gostou das nossas informações sobre o calendário FGTS 2018? Deixei seu comentário!

IPVA 2018 SP: Saiba quais são os prazos de pagamento!

O estado de São Paulo é um dos estados brasileiros que possui maior população, com isso, ele possui uma grande quantidade de veículos circulando pela cidade ao longo de todo o dia, e os condutores desses veículos precisam ficar atentos ao impostos que são cobrados para andarem sempre em dia e não correr o risco de ter o seu veiculo irregular para que possa levar multa ou até perdê-lo. Um desses impostos importantíssimos é o IPVA 2018 SP, no qual através dele é possível manter o seu carro licenciado e regular com o estado de São Paulo. Se você deseja saber um pouco mais sobre o IPVA 2018 SP, continue lendo esse artigo que a seguir eu falarei tudo o que você precisa saber sobre ele para manter seu veiculo regular.

IPVA 2018 SP: O que é?

A sigla IPVA significa Imposto sobre propriedade de veículos automotores, ele é um imposto obrigatório de todos os veículos automotores e deve ser pago anualmente. Quem não cumprir a legislação e não efetuar o pagamento do seu IPVA SP na data certa (que é estipulada pela Secretaria da fazenda do estado de São Paulo), terá seu veiculo não licenciado até o pagamento do débito e com isso poderá levar multas ou até mesmo, dependendo da situação, ter o seu veículo apreendido até a legalização do mesmo.

Todo ano a Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo divulga uma tabela com as datas para o pagamento do IPVA, assim, o mesmo poderá ser pago integralmente ou parcelado em até três vezes desde que siga os critérios pré-estabelecidos pelo órgão.

ipva 2018 sp

Qual o valor do IPVA 2018 SP?

O valor do IPVA não é o mesmo para todos os tipos de veículos automotores do estado de São Paulo, visto que esse imposto é calculado com base no valor de cada veículo e na alíquota estabelecida pelo estado de São Paulo. É por isso, que o DETRAN SP disponibiliza em seu portão uma área especifica própria para que os proprietários de veículos de São Paulo possam ter acesso ao valor de seu IPVA, assim como as datas de pagamento e parcelamento e todas as outras informações necessárias para manter seu IPVA 2018 SP em dia. Veja a seguir como saber o valor do seu IPVA 2018 SP através do site do DETRAN:

Como saber o valor do IPVA 2018 SP?

Para saber o valor que você deverá pagar de IPVA 2018 para veículos do estado de São Paulo é muito simples, para isso basta seguir as orientações a seguir:

  1. Acesse a pagina do DETRAN SP;
  2. Clique na opção “veículos” e em seguida em “pesquisas de débito e restrições de veículos de terceiros”;
  3. Preencha o campo “Placa do veículo” e “RENAVAM”;
  4. Em seguida escreva as letras que aparecerão em sua tela e clique em prosseguir;
  5. Após preencher todos esses campos você terá todas as informações que precisa sobre o IPVA 2018 SP disponíveis em sua tela.

Como obter desconto no pagamento do IPVA 2018 SP?

Para os proprietários de veículos automotores que pagarem o seu IPVA 2018 SP dentro do prazo estabelecido pelo órgão responsável ( a secretaria da fazenda do estado de São Paulo), em parcela única poderá obter um desconto durante o pagamento do seu boleto. Esse desconto é de 15% sobre o valor total do IPVA 2018 SP. Essa medida foi tomada pelo estado de São Paulo a fim de incentivar os proprietários a manterem seus veículos devidamente legalizados e a pagar seu imposto em dia.

No caso de quem escolher a opção de dividir o pagamento do IPVA 2018 SP em três parcelas, mesmo que a primeira seja paga com antecedência antes do prazo estipulado pela secretaria da fazenda, não será concedido o desconto sobre o valor do seu importo, visto que também essa medida foi tomada como forma de incentivo aos proprietários para que eles paguem seu IPVA 2018 SP em apenas uma parcela.

Se ainda ficou alguma duvida sobre o IPVA 2018, deixe-a nos comentários que nós responderemos assim que possível.