IPVA 2018 SP: Saiba quais são os prazos de pagamento!

O estado de São Paulo é um dos estados brasileiros que possui maior população, com isso, ele possui uma grande quantidade de veículos circulando pela cidade ao longo de todo o dia, e os condutores desses veículos precisam ficar atentos ao impostos que são cobrados para andarem sempre em dia e não correr o risco de ter o seu veiculo irregular para que possa levar multa ou até perdê-lo. Um desses impostos importantíssimos é o IPVA 2018 SP, no qual através dele é possível manter o seu carro licenciado e regular com o estado de São Paulo. Se você deseja saber um pouco mais sobre o IPVA 2018 SP, continue lendo esse artigo que a seguir eu falarei tudo o que você precisa saber sobre ele para manter seu veiculo regular.

IPVA 2018 SP: O que é?

A sigla IPVA significa Imposto sobre propriedade de veículos automotores, ele é um imposto obrigatório de todos os veículos automotores e deve ser pago anualmente. Quem não cumprir a legislação e não efetuar o pagamento do seu IPVA SP na data certa (que é estipulada pela Secretaria da fazenda do estado de São Paulo), terá seu veiculo não licenciado até o pagamento do débito e com isso poderá levar multas ou até mesmo, dependendo da situação, ter o seu veículo apreendido até a legalização do mesmo.

Todo ano a Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo divulga uma tabela com as datas para o pagamento do IPVA, assim, o mesmo poderá ser pago integralmente ou parcelado em até três vezes desde que siga os critérios pré-estabelecidos pelo órgão.

ipva 2018 sp

Qual o valor do IPVA 2018 SP?

O valor do IPVA não é o mesmo para todos os tipos de veículos automotores do estado de São Paulo, visto que esse imposto é calculado com base no valor de cada veículo e na alíquota estabelecida pelo estado de São Paulo. É por isso, que o DETRAN SP disponibiliza em seu portão uma área especifica própria para que os proprietários de veículos de São Paulo possam ter acesso ao valor de seu IPVA, assim como as datas de pagamento e parcelamento e todas as outras informações necessárias para manter seu IPVA 2018 SP em dia. Veja a seguir como saber o valor do seu IPVA 2018 SP através do site do DETRAN:

Como saber o valor do IPVA 2018 SP?

Para saber o valor que você deverá pagar de IPVA 2018 para veículos do estado de São Paulo é muito simples, para isso basta seguir as orientações a seguir:

  1. Acesse a pagina do DETRAN SP;
  2. Clique na opção “veículos” e em seguida em “pesquisas de débito e restrições de veículos de terceiros”;
  3. Preencha o campo “Placa do veículo” e “RENAVAM”;
  4. Em seguida escreva as letras que aparecerão em sua tela e clique em prosseguir;
  5. Após preencher todos esses campos você terá todas as informações que precisa sobre o IPVA 2018 SP disponíveis em sua tela.

Como obter desconto no pagamento do IPVA 2018 SP?

Para os proprietários de veículos automotores que pagarem o seu IPVA 2018 SP dentro do prazo estabelecido pelo órgão responsável ( a secretaria da fazenda do estado de São Paulo), em parcela única poderá obter um desconto durante o pagamento do seu boleto. Esse desconto é de 15% sobre o valor total do IPVA 2018 SP. Essa medida foi tomada pelo estado de São Paulo a fim de incentivar os proprietários a manterem seus veículos devidamente legalizados e a pagar seu imposto em dia.

No caso de quem escolher a opção de dividir o pagamento do IPVA 2018 SP em três parcelas, mesmo que a primeira seja paga com antecedência antes do prazo estipulado pela secretaria da fazenda, não será concedido o desconto sobre o valor do seu importo, visto que também essa medida foi tomada como forma de incentivo aos proprietários para que eles paguem seu IPVA 2018 SP em apenas uma parcela.

Se ainda ficou alguma duvida sobre o IPVA 2018, deixe-a nos comentários que nós responderemos assim que possível.

 

IPTU SP 2018: Saiba como pagar o seu imposto com descontos!

O IPTU é um imposto cobrado anualmente de todos os proprietário de imóveis urbanos. Esse imposto é de caráter obrigatório e o seu não pagamento pode gerar em malefícios ao proprietário que poderá levar uma multa por não pagamento da divida, ou se recorrente da divida referente a esse imposto, o mesmo poderá ir a leilão, por isso é necessário que você fique atento as informações sobre o IPTU 2018 para que você não corra nenhum risco de obter uma multa e assim possuir uma divida ainda maior com o município.

Se você possui algum tipo de imóvel localizado na cidade de São Paulo é necessário que você fique atento as informações desse artigo para manter o seu IPTU SP 2018 em dia. O IPTU SP 2018 é destinado a pessoas físicas e jurídicas que possuem qualquer tipo de imóvel registrado em seu nome, mesmo ele não esteja domiciliado no imóvel. Esse imposto possui caráter anual e possui seu vencimento, na maioria das vezes, no primeiro trimestre do ano. Continue lendo esse artigo e veja as principais informações que você precisa saber sobre o IPTU SP 2018.

Para que serve a arrecadação do IPTU SP 2018?

O Imposto predial e territorial urbano, IPTU, é um  imposto emitido pela prefeitura municipal de São Paulo e deve ser pago a mesma, através do boleto bancário. Todo o dinheiro arrecadado com esse imposto fica retido nos cofres públicos da prefeitura e são utilizados para a melhoria da infraestutura da região, assim como para pagamento de funcionários públicos e para a realização de obras em todo o município. Por isso é importante manter sempre em dia o pagamento do IPTU SP 2018.

Como obter desconto?

Se você gosta de um desconto,uma ótima opção é pagar seu IPTU SP 2018 com antecedência, pois a prefeitura municipal de São Paulo, a fim de incentivar os proprietários de imóveis urbanos a pagar o seu IPTU em dia, concede descontos para aqueles que pagarem a primeira parte do IPTU antes do vencimento, que ocorre geralmente no mês de fevereiro. O valor do desconto varia conforme o tipo de imóvel e conforme o valor total do IPTU.

Outra opção de pagamento do IPTU SP 2018 é com o parcelamento, assim o proprietário do imóvel pode dividir o valor do seu IPTU em até 10 vezes, contudo, aos que optam por esse tipo de pagamento não é concedido o desconto, mesmo que a primeira parcela do imposto seja paga antes do vencimento, pois a medida tomada pelo estado é justamente para incentivar o pagamento adiantado e em uma única parcela.

Qual o valor do IPTU SP 2018?

Não é possível dizer um valor exato do IPTU SP 2018, visto que o cálculo para o pagamento do mesmo é feito através de uma analise territorial do espaço onde está localizado o imóvel, assim como  o tamanho da construção. Por isso o valor varia de imóvel para imóvel. A prefeitura municipal de São Paulo  envia com antecedência o IPTU com o valor que deverá ser pago a cada endereço, com isso o dono do imóvel não precisa se preocupar nem com a emissão do mesmo, apenas com o pagamento.

Como emitir segunda via?

Se você perdeu o seu boleto do IPTU SP 2018 não se preocupe, pois você ainda pode solicitar a 2° via do seu IPTU. Para isso, a prefeitura municipal disponibiliza a todos os cidadãos, em seu site oficial a opção de emitir a segunda via do boleto do IPTU. Essa emissão é totalmente grátis e pode ser feita diretamente do computador de sua casa, sem precisar de passar por nenhum processo burocrático.

Em casos de aluguel, quem deve pagar o IPTU ?

Uma duvida muito comum dos locatários de casas, prédios, apartamentos e demais imóveis, é quanto ao pagamento do IPTU, e essa é uma pergunta muito complexa pois não existe uma legislação que define qual das partes deve pagar o IPTU, porém, caso não haja o pagamento, a multa vem para o locador, não para o locatário. Na maioria das vezes é feito um acordo entre as partes no qual o locatário paga o IPTU, porém não é uma regra, podendo variar de contrato para contrato.

Ainda ficou alguma duvida sobre o IPTU SP 2018? Deixe-a nos comentários que nós responderemos assim que possível.

IPVA 2018 MG: Saiba qual o prazo para poder pagar o imposto do carro!

Se você possui algum tipo de veículo automotor e mora no estado de Minas Gerais, você já deve saber que deverá pagar o IPVA 2018 MG do seu veículo. Os veículos automotores são muito comuns atualmente, sendo que grande parte da população brasileira possui algum tipo de veículo automotor, porém, quem possui um veiculo possui também obrigações para com o mesmo, entre elas, a de pagar os impostos. Um desses impostos que os proprietários devem ficar sempre atentos é o IPVA, pois caso este se encontre em atraso, o dono do veiculo ou até mesmo o seu condutor, poderá sofrer várias conseqüências, dentre elas levar uma multa e até mesmo ter o seu veiculo apreendido até a legalização do mesmo, dependendo da situação. Se você deseja saber um pouco mais sobre o IPVA 2018 MG, continue lendo esse artigo que a seguir eu falarei tudo o que você precisa saber sobre ele e como manter esse imposto em dia.

O que é IPVA 2018 MG?

O IPVA é a sigla que designa  Imposto sobre a propriedade de veículos automotores, no caso dos veículos do estado de Minas Gerais, esse imposto é emitido através da secretaria  da fazenda do estado de Minas Gerais, e deve ser pago anualmente. Caso alguém proprietário de veiculo se negue a cumprir o pagamento do IPVA 2018 MG, esse órgão poderá tomar as medidas cabíveis e assim o veiculo não será mais licenciado, com isso, é possível que durante uma fiscalização o proprietário ou o condutor do veiculo tenha que pagar multa e perca pontos na carteira. Além do mais, em casos mais graves, é possível que o veiculo seja apreendido até que haja a quitação dos débitos em atraso e assim a legalização do veiculo.

O Valor do IPVA 2018 não precisa necessariamente ser pago em uma parcela única, podendo ser dividido em até três vezes, ficando a critério do proprietário do veiculo escolher ou não a opção do parcelamento. Contudo, há uma data estipulada pelo órgão competente ( a secretaria da fazenda do estado de Minas Gerais) para que seja realizado o pagamento desse imposto. Veja a seguir como consultar a data do pagamento do seu IPVA 2018 MG.

ipva 2018 mg

Data do pagamento do IPVA 2018 MG

O pagamento do IPVA possui um calendário de pagamento e assim os proprietários dos veículos devem se atentar para cumprir as datas estipuladas pelo órgão competente para que tenha o seu veiculo devidamente legalizado. A data do pagamento do IPVA 2018 MG pode ser consultada através do site do DETRAN MG, assim, caso você possua dúvidas quanto os prazos de pagamento, poderá acessar assim que for divulgado, os prazos através do site do DETRAN MG sem precisar sair de sua casa.

Qual o valor do IPVA 2018 MG?

Não existe um valor fixo para o pagamento do IPVA, visto que o calculo do pagamento desse imposto é feito levando-se em conta o valor do veiculo e a alíquota cobrada pelo estado de Minas Gerais, assim, caso você queira saber o valor do seu IPVA 2018 MG, é necessário que você acesse ao site do DETRAN MG, vá até a área de veículos, e em consultar débitos ou restrições de veículos de terceiros, acesse a pagina com o RENAVAM e a placa do veiculo em mãos. Assim será possível consultar todas as informações acerca do IPVA 2018 MG do seu veiculo automotor.

Como obter desconto?

AO pagar o seu IPVA é possível obter um desconto de até 15% sobre o valor total do imposto. Contudo, os proprietários que desejam obter esse desconto devem pagar o seu IPVA antes do prazo de vencimento e me parcela única. Não é obtido descontos sobre o valor do IPVA para quem opta pelo parcelamento do imposto, mesmo que a primeira parte seja paga antes do prazo de vencimento. Visto que essa medida de conceder descontos é uma forma de incentivo que o estado criou para que os proprietários paguem o seu IPVA sem atrasos e para que o pagamento seja feito em parcela única.

Ainda ficou alguma duvida sobre o IPVA 2018 MG? Deixe-a nos comentários que nós responderemos assim que possível!

IPTU BH 2018: Saiba como pagar o imposto com descontos!

Sempre logo no começo de cada ano vão surgindo-se as obrigações do cidadão para com o estado e/ou com a cidade. É seguro de carro, impostos obrigatórios, e outras várias contas extras, dentre elas temos o IPTU, um imposto obrigatório para quem possui algum imóvel no meio urbano. O IPTU é um importo muito importante e o não pagamento dele pode levar até mesmo a perda do seu imóvel, por isso é necessário que você fique bem atento a data desse imposto para que não seja surpreendido com a sua chegada. Se você mora em BH e quer saber tudo sobre o IPTU BH 2018, continue lendo esse artigo e veja tudo o que você precisa saber sobre esse importante imposto.

O que é IPTU BH?

A sigla IPTU significa Imposto Predial e Territorial Urbano. Esse imposto é cobrado pelo município  no inicio de cada ano, e o mesmo possui caráter obrigatório, sendo assim caso o proprietário do imóvel se recuse a pagar seu IPTU, ele poderá perder seu imóvel e o mesmo deverá ir a leilão. O IPTU BH é emitido pela prefeitura municipal de Belo Horizonte e deve ser pago preferencialmente até a sua data de vencimento.

Caso o cidadão desejar, é possível pagar o IPTU BH em parcelas, assim ele precisa apenas ir até a prefeitura municipal e pedir o parcelamento de seu IPTU. O número de parcelas dependerá do valor total do IPTU. O valor desse imposto fica retido nos cofres da prefeitura e será destinado a melhorias na infraestrutura da própria região, assim como para o pagamento dos salários dos funcionários públicos do município, financiamento de obras e tudo mais que for benéfico para o desenvolvimento e crescimento daquela região.

Qual o valor do IPTU BH 2018?

Não é possível dizer um único valor para o IPTU BH 2018, visto que o calculo do IPTU varia para cada imóvel, sendo que conta quantos metros quadrados possui o terreno e a construção, além de contar com o tamanho do prédio (quantos andares). Essa medida de começar a analisar quantos andares possui a construção para o calculo do IPTU é nova, visto que a cada dia que se passa as pessoas fazem mais prédios, e com isso o valor do imposto estava incompatível com a construção olhando-se apenas o tamanho territorial.

IPTU BH 2018: Descontos

A fim de incentivar o pagamento do IPTU antes da data de vencimento e também para incentivar o pagamento em parcela única, a prefeitura municipal de Belo Horizonte concederá um desconto de 4% ou mais sobre o valor do IPTU para os proprietários que o pagarem até o ultimo dia útil de fevereiro do ano de 2018. O valor desse desconto dependerá do tamanho de cada imóvel, podendo aumentar quanto maior o território do mesmo.

Em caso dos proprietários que optarem por dividir o pagamento do seu IPTU, não será concedido esse desconto, já que o mesmo tem como principal função incentivar o pagamento adiantado e em uma única parcela do IPTU BH 2018.

iptu bh 2018

Como posso consultar o meu IPTU BH 2018?

O IPTU BH 2018 é emitido pela própria prefeitura do município, assim não corre o risco do cidadão esquecer de emiti-lo ou alegar que não possuía conhecimento sobre o mesmo. Ele é enviado a cada residência do município já com sua data de pagamento. Caso o proprietário perca o boleto do IPTU BH 2018 ele deverá emitir a segunda via do mesmo. Veja a seguir como emitir a segunda via do IPTU BH 2018.

  • Acesse ao site oficial da prefeitura municipal de Belo Horizonte;
  • Digite o numero do contribuinte;
  • Informe “2018” no campo “ano do IPTU”;
  • Selecione o boleto do IPTU que você deseja imprimir;
  • Clique na opção “gerar 2° via de boleto”;

Em alguns segundos você terá seu boleto em mãos e deverá ficar atento a data de vencimento do mesmo, visto que ela não se altera com a emissão da segunda via do boleto.

Ficou alguma duvida sobre o IPTU BH 2018? Deixe nos comentários que nós responderemos assim que possível.

Salário Mínimo 2018: Saiba o que muda e qual o valor!

Logo no principio de todo ano, já é esperado o aumento do salário mínimo que beneficia milhões de brasileiros que trabalham assalariado. Esse reajuste é feito de acordo com a inflação do ano anterior. O atual presidente da república federativa do Brasil, Michel Temer, já assinou o decreto que irá conceder o reajuste do salário mínimo para o ano de 2018. Se você também é uma dessas pessoas que já fica esperando ansiosamente o aumento do salário mínimo, continue lendo esse artigo e veja de quanto será esse reajuste para saber quanto você irá receber de acordo com o salário mínimo 2018.

Qual o valor do salário mínimo 2018?

Grande parte da população brasileira utiliza do salário mínimo para sobreviver. São os chamados “trabalhadores assalariados”, esses, ao final de cada ano já começa a dar mais atenção aos noticiários e a pesquisar sobre o salário do ano subsequente, visto que o aumento dos salários proporciona uma pequena melhora para os trabalhadores, que ao receber mais poderão possuir um estilo de vida melhor e assim obter mais conforto.

Contudo, o aumento do salário mínimo sempre gera grande polemica ante de ser divulgado o seu valor oficial, pois cada site divulga uma especulação diferente e assim fica difícil saber qual o valor exato do aumento. Alguns sites até acertam esse valor, contudo, outros publicam um valor absurdo que só serve para criar falsas esperanças no cidadão. Por isso, antes de saber o valor real do aumento do salário mínimo, é necessário que você entenda como é feito o calculo para que esse aumento aconteça.

Como é feito o calculo do reajuste do salário mínimo 2018?

Como o próprio nome já diz, o aumento que recebemos no inicio de cada ano sob o valor do salário mínimo, o reajuste, é uma correção do valor da inflação que vai ocorrendo ao longo de cada ano.

Para que seja feito o calculo do salário mínimo 2018 além da inflação, é analisado o Índice Nacional de Preços ao Consumidor – INPC e o Produto Interno Bruto – PIB de dois anos anteriores. No caso de 2018 será analisado os dados do ano de 2016. Contudo, no ano de 2016 o PIB do país foi negativo, (- 3,6%), então esse dado será desconsiderado, e o que valerá será apenas a inflação. Neste ano, a estimativa do INPC foi de 4,48%.

Com isso o valor previsto do salário mínimo para o ano de 2018 é de 4,48% sobre o atual salário mínimo 937,00, assim, o valor seria 979,00, ocorrendo com isso um aumento de aproximadamente 42,00 para os trabalhadores assalariados. Esse aumento ainda pode ser considerado pouco, pois o trabalhador, com esse salário ainda possuirá grandes dificuldades de se manter, sem levar em consideração ainda que no principio do ano também ocorre o reajuste inflacionário em vários outros setores, aumentando ainda mais o custo de vida.

O salário mínimo é um valor justo?

O salário mínimo, quando foi criado ainda na época de Getúlio Vargas, tinha a finalidade de satisfazer as necessidades básicas do cidadão como a alimentação, educação, vestuário, habitação, transporte e higiene. E atualmente, o valor pago ao trabalhador assalariado não é o suficiente para satisfazer essas necessidades básicas do ser humano, por isso não é justo e deveria ser analisado para que consiga melhores condições de vida aos trabalhadores.

Estudiosos concluem que o ideal para um salário mínimo digno e justo seria mais que o dobro do valor que é pago atualmente, por isso é possível notar a injustiça a cerca do salário mínimo para os trabalhadores.

Valor do salário mínimo nos últimos dez anos

O salário mínimo sofre reajustes todo o ano, veja a seguir quais eram os valores dos salários mínimos nos últimos dez anos no Brasil:

01/01/2018: 979,00;
01/01/2017: 937,00;
01/01/2016: 880,00;
01/01/2015: 788,00;
01/01/2014: 724,00;
01/01/2013: 678,00;
01/01/2012: 622,00;
01/01/2011: 545,00;
01/01/2010: 540,00;
01/01/2009: 510,00.

Com os resultados acima é possível notar que o salário mínimo aumentou relativamente pouco nos últimos anos, e principalmente que há 10 anos o valor do reajuste era quase que insignificante para os trabalhadores assalariados.

As pessoas que não recebem o salário mínimo possuem outra forma de se calcular o reajuste, de acordo com a atividade que ela exerce e com o valor de sua remuneração.

 

Fies: Saiba o que é e como conseguir participar do programa!

Ingressar em uma faculdade é o sonho da maioria dos estudantes, porém, muitas vezes esse sonho não era possível de se realizar. Contudo, agora está muito mais fácil conseguir ingressar em uma universidade. Após a realização das provas do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), os vestibulandos podem concorrer a vagas para ingressar em faculdades Federais ou estaduais através do Programa de Seleção Unificada – SISU, em faculdades privadas com bolsas parciais ou integrais através do PROUNI, ou ainda fazer um financiamento estudantil com o FIES (Fundo de Financiamento ao Estudante de Ensino Superior).

Para quem ainda não conhece, o FIES é um programa do governo criado para os estudantes que não consegue entrar na faculdade pelos outros programas do governo e não possui condições de pagar por um ensino superior. Para saber um pouco mais sobre o FIES continue lendo esse artigo que nós tiraremos todas as suas dúvidas.

O que é?

O FIES é um programa de financiamento estudantil para quem não conseguiu ingressar em uma faculdade pública ou não conseguiu bolsa em uma das faculdades particulares. Ele é um programa do governo, que beneficia milhares de estudantes todos os anos.

Esse programa é um empréstimo a estudantes, com juros baixos onde os estudantes só pagam o financiamento alguns anos após se formar. Assim, no período em que estiver cursando a faculdade o aluno deverá pagar o valor correspondente apenas aos juros do financiamento trimestralmente.

O aluno não precisa pagar seu financiamento assim que se formar, pois ele possui um período de carência e nesse período ele continuará pagando apenas a taxa de juros. Após o fim do período de carência, o estudante do FIES deverá começar a pagar sua dívida, que poderá ser dividida em várias parcelas, e paga em vários anos, de acordo com a duração do curso que foi financiado.

fies

Como conseguir?

Conseguir uma vaga no FIES é fácil, para isso aluno só precisa fazer a inscrição e concorrer uma das centenas de vagas disponíveis. A inscrição para o FIES é rápida e prática, você só precisa esperar até ser divulgado o período de inscrições (que são abertos duas vezes ao ano) e acessar ao site do FIES, preenchendo os seus dados, e buscando o curso que deseja para concorrer a vaga.

Para conseguir o FIES, é necessário atender aos requisitos básicos exigidos, que são:

  • Ter renda máxima de 3 (três) salários mínimos por pessoa do grupo familiar;
  • Ter feito o Enem no ano anterior, e ter obtido nota acima de 450 pontos, sendo que o estudante não pode ter zerado a redação do Enem;
  • Não ter concluído curso superior;
  • Possuir um fiador (Com nome limpo).

O Fiador não é exigido para os alunos que já possuem bolsa parcial no ProUni, alunos que tem renda familiar per capita de até 1,5 salário mínimo, e também os que estão matriculados em cursos de licenciatura.

O programa não é está disponível para todos os estudantes. Veja a seguir quem não pode participar desse programa:

  • Alunos que estejam com a matrícula trancada no período da inscrição;
  • Alunos que foram beneficiados com bolsa integral no ProUni;
  • Estudantes que estão matriculados em cursos que não possuem o programa FIES;
  • Pessoas que já tiveram sido beneficiados com o financiamento pelo FIES;
  • Estudantes com renda per capita familiar superior a 3 (três) salários mínimos.

Posso conseguir o Financiamento para qualquer curso?

O FIES está disponível para as faculdades que são cadastradas no programa, com isso não são todas as faculdades privadas que fazem uso dessa modalidade de financiamento. No entanto, mesmo as faculdades que possuem o financiamento pelo FIES, pode não disponibilizar vagas para todos os cursos.

Lembramos que o FIES ainda não abrange as modalidades de graduação a distância. Assim, atualmente só é possível garantir o financiamento através do FIES para cursos que são presenciais.

fies

Cursos mais procurados

Assim como os outros programas possui cursos muito procurados, por isso separamos alguns dos cursos mais procurados.

Os cursos mais procurados são:

  1. Medicina;
  2. Engenharia;
  3. Direito;
  4. Administração;
  5. Psicologia.
  6. Enfermagem.

Ainda ficou alguma duvida sobre o FIES? Deixe nos comentários que nós responderemos assim que possível!

Certidão negativa do INSS: O que é e onde posso emitir?

A certidão negativa de débito ou CND é muito usada por quem precisa comprovar a inexistência de débitos junto a Previdência Social e a Receita Federal e pode ser utilizada para vários casos em nosso dia a dia.  A certidão negativa pode ser solicitada tanto por pessoas físicas como por pessoas jurídicas.  Para a pessoa física, a certidão negativa comprova que ela não possui débitos, já para as empresas, essa certidão simboliza a regularidade fiscal e cadastral junto a Receita Federal. Se você deseja saber um pouco mais sobre a certidão negativa, continue lendo esse artigo que a seguir nós tiraremos todas as suas dúvidas.

Para que serve a certidão negativa do INSS?

Ela é um documento que serve para comprovar que o contribuinte do INSS não possui nenhuma pendencia com a Previdência Social. Essa certidão geralmente é solicitada nos seguintes casos:

  • Para aposentadoria;
  • Revalidação de registro de imóveis;
  • Concessão de créditos rural;
  • Alienação oneração de bens.

No caso das empresas, essa consulta é importante para saber se a mesma realmente está regular com os débitos da previdência social, como também para evitar fraudes, conferir a regularidade da sua empresa e confirmar os dados da certidão negativa de débito que foram apresentados por terceiros.

Onde posso emitir?

A principio a certidão negativa do INSS só poderia ser solicitada em umas das unidades da previdência e demorava cerca de 15 dias para fica pronta, contudo, para facilitar e agilizar esse processo, foi criado um portal próprio na internet onde você pode emitir a sua certidão negativa dentro de alguns minutos. Veja a seguir o passo a passo de como emitir essa certidão:

  1. Acesse a página da Receita Federal através do seguinte link: https://www.receita.fazenda.gov.br/
  2. Informe o número do seu CPF (caso seja pessoa física) ou do CNPJ (caso seja empresa) e os caracteres que aparecem e prossiga;
  3. Você será redirecionado para a página com sua receita negativa, agora é só salvar e imprimir.

Qual o prazo dessa certidão?

A certidão negativa do INSS possui um curto prazo, que é de apenas 60 dias. Sendo assim, após esse período ela não possui mais nenhuma validade e é necessário que o contribuinte retire outra certidão, que poderá ser emitida em alguns minutos através da internet, ou em uma das sedes da previdência social, conforme a vontade do contribuinte.

Quais são os outros tipos desse documento?

Além da certidão negativa do INSS, existem muitos tipos de certidão negativa que a pessoa ou empresa poderá solicitar, veja a seguir uma lista com os principais:

  • Certidão negativa de imóvel: Essa certidão declara que o imóvel não possui nenhum tipo de restrição e pode ser vendido;
  • Certidão negativa de protesto: Essa certidão comprova se há ou não pendencias no cartório de protestos;
  • Negativa de falência: Essa certidão é utilizada para comprovar que não há nenhum pedido de falência da pessoa jurídica;
  • Certidão da justiça do trabalho: É a certidão que comprova os processos trabalhistas tanto da pessoa física como da pessoa jurídica;
  • Negativa de execuções fiscais: Essa certidão comprova se há a existência ou não de dívidas em órgãos municipais ou estaduais;
  • Certidão negativa da Justiça Federal: É utilizada para comprovar se a pessoa está respondendo ou já respondeu por algum processo de caráter criminal;
  • Certidão negativa de débitos previdenciários: Comprova se há regularidade ou não em relação a previdência, assim como sobre as contas ativas do INSS;
  • Certidão de tributos imobiliários : Serve para fazer a identificação se o individuo possui alguma dívida na prefeitura;
  • Certidão negativa de antecedentes criminais: Comprova se há a existência ou não de pendencias criminais na polícia;
  • Certidão  criminal: Essa certidão serve para informar se há a existência ou não de processos no fórum da justiça federal.

Ainda ficou alguma dúvida? Deixe nos comentários que nós responderemos assim que possível. E caso tenha alguma reclamação sobre o não funcionamento do site, ou não está conseguindo imprimir sua certidão para tentarmos ajuda-lo.

Nota Fiscal Paulista: O que é? Para que serve? Quais os benefícios?

Em 2007 o governo do estado de São Paulo criou a nota fiscal paulista para tentar combater a sonegação de impostos que vinha acontecendo em São Paulo e a fim de aumentar a arrecadação do estado.

Com a nota fiscal paulista, o consumidor tem direito a receber de volta parte do imposto embutido nas mercadorias que ele comprou. Esse reembolso pode vir de duas formas, ou como desconto no IPVA ou em dinheiro.

Não são todos os serviços que garantem a pessoa o direito ao reembolso do dinheiro. Alguns exemplos de produtos que não tem o reembolso são:

  • Energia Elétrica;
  • Alimentação;
  • Gás Canalizado;
  • Artigos esportivos;
  • Artigos de lazer;
  • Combustíveis;
  • Material de construção;
  • Mercados;
  • Salões de beleza;
  • Veículos.

No site da Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo você encontra a lista completa de todos os serviços que não dão direito ao cidadão de reembolso.

Para que serve a Nota Fiscal Paulista?

A principal função da nota fiscal paulista é combater a sonegação de impostos que vem acontecendo todos os anos no estado de São Paulo.

O governo lançou essa estratégia a fim de aumentar a arrecadação do estado, que estava diminuindo com o passar dos anos.

Como alterar o cadastro?

A atualização do cadastro é importante, pois caso você seja sorteado, com um prêmio que é de alto valor, a secretaria da fazenda do estado São Paulo irá enviar as informações para seu email de acordo com seus dados de cadastro.

Após fazer o cadastro você pode fazer a alteração de muitos dado pela internet como:

  • Endereço;
  • Telefone residual;
  • Telefone comercial;
  • Data de nascimento;
  • Telefone Celular;
  • Endereço de Email;
  • Frase de segurança.

Alguns dados pessoais não podem ser alterados como o CPF. Caso a pessoa mude de nome é possível fazer a atualização, porém é necessário que a pessoa compareça na Receita Federal do Brasil, quando já possuir o CPF com o novo novo, para atualizar o cadastro.

Se você não sabe como fazer a alteração do cadastro da Nota Fiscal Paulista, veja a seguir o passo a passo que preparamos para você:

  1. Acesse o site: nfp.fazenda.sp.gov.br;
  2. Clique na opção acesso ao sistema;
  3. Insira seu CPF e senha;
  4. Vá em configurar, perfil do consumidor;
  5. Agora você pode alterar os dados que desejar e depois clique em “alterar dados”.

Pronto agora seus dados foram alterados com sucesso. Você pode alterar essas informações no sistema quantas vezes quiser, no entanto é necessário que mantenha sempre as informações corretas no sistema.

Nota Fiscal Paulista Consulta

Para realizar a consulta da nota fiscal eletrônica é necessário que você acesse ao site da fazenda: www.nfp.fazenda.sp.gov.br, clicar na opção consulta notas/cupons, e inserir os dados que forem solicitados. Clique em “localizar” que você poderá ver todos os dados da sua consulta individual.

Como resgatar créditos?

Com a nota fiscal paulista você pode receber até 30% do ICMS pago em impostos, sendo que o recebimento acontece através de descontos em sua taxa de IPVA. Se você consultou e viu que possui créditos mas não sabe como resgatá-los, a seguir nos preparamos um passo a passo para te ajudar a resgatar seus créditos:

  1. Entre no site da nota fiscal eletrônica e na área de consulta, informe seus dados para fazer login, assim você poderá ver o valor que tem para ser resgatado;
  2. Após entrar em seu cadastro, selecione a opção “utilizar créditos”. Você tem a opção de transferir o dinheiro para sua conta de poupança, ou sua conta corrente (a conta não pode pertencer a outro titular). Caso você não queira receber o valor em dinheiro, você pode selecionar a opção de reservar os créditos para abater no IPVA, porém essa opção só é válida para o mês de outubro.
  3. A pessoa física pode transferir valores superiores a 25,00 para a sua conta de poupança ou sua conta corrente;
  4. A pessoa jurídica pode tranferir valores superiores a 25,00 desde que seja uma conta corrente ou poupança própria;
  5. Após feita a transferência o dinheiro estará na conta do beneficiário na quarta feira subsequente ao pedido de reembolso;
  6. Quem possui débitos no IPVA ou ICMS com o estado só poderá fazer o resgate após quitar o pagamento de seus débitos;
  7. Os valores ficam por 5 anos a disposição do cliente.

Para mais informações assista a este vídeo:

Este artigo foi útil para você? Conta pra gente aqui nos comentários!

eSocial: Conheça aqui o novo projeto do governo para os empregados

Esse novo projeto do Governo Federal, o eSocial,  veio para facilitar e unificar informações para o empregador doméstico. Saiba aqui o que mudou!

Já ouviu falar desse novo projeto? Ele veio para simplificar e facilitar a vida tanto do empregador quanto do empregado. Porque com o eSocial em vigor o cadastro, tributos e informações sobre o empregado estarão todos no mesmo lugar para simples conferência e revisão. É um projeto bastante novo que está em vigor, mas poucas pessoas sabem dos seus benefícios e vantagens. O artigo de hoje veio para esclarecer e tirar todas as dúvidas referentes ao eSocial. Não perca mais tempo e veja tudo a seguir.

O que é o eSocial?

Para o empregador se manter informado e organizado quanto ao cadastro, informações e tributos de seus empregados era preciso consultar arquivos físicos e também sites e órgãos diversos para saber se os tributos estavam sendo pagos em dia. Dessa forma ocorriam muitos erros cadastrais e de contribuições, deixando a situação do empregado irregular, não por culpa dele e sim do empregador.

Com a Lei Complementar de 02 de junho de 2015 foi instituída ao simples doméstico tais responsabilidades a serem recolhidas em guia única:

  • Imposto sobre a Renda Pessoa Física, se incidente – Trabalhador;
  • 8% a 11% de contribuição previdenciária – Trabalhador;
  • 8% de contribuição patronal previdenciária – Empregador;
  • 0,8% de seguro contra acidentes do trabalho – Empregador;
  • 8% de FGTS – Empregador;
  • 3,2% de indenização compensatória (Multa FGTS) – Empregador.

Em 01 de outubro de 2015 foi lançado o eSocial como forma de tornar a Lei Complementar 150 de 2015 viável através desse projeto. O eSocial unifica as informações do empregador com relação ao empregado. No cadastro de cada empregado terá todas as suas informações completas, nome, sobrenome, estado civil, endereço, número do registro geral, número do cadastro de pessoa física e também conterá seu histórico de trabalho como licenças, férias, admissão, demissão, recolhimento unificado de todos os tributos, FGTS e valor do salário.

O eSocial é um projeto que reúne diversos órgãos e entidades do governo federal como: Caixa Econômica Federal, Instituto Nacional do Seguro Social – INSS, Ministério da Previdência – MPS, Ministério do Trabalho e Emprego – MTE, Secretaria da Receita Federal do Brasil – RFB e Ministério do Planejamento. O eSocial é como se fosse uma folha de pagamento digital.

Como fazer o cadastro?

Se você é o empregador e quer já fazer o cadastro de todos os seus empregados para usufruir da funcionalidade e organização do eSocial, você deve ter em mãos as seguintes informações e documentos dos seus empregados:

  • Número do CPF;
  • Data de nascimento;
  • País de nascimento;
  • Número do NIS (NIT/PIS/PASEP/SUS);
  • Raça/Cor;
  • Escolaridade;
  • Número, série e UF (Estado) da CTPS (Carteira de Trabalho e Previdência Social);
  • Endereço residencial;
  • Endereço do local de trabalho;
  • Data da admissão;
  • Data da opção pelo FGTS;
  • Valor do Salário Contratual;
  • Número do Telefone (Preferencialmente celular);
  • E-mail de contato.

Se o seu empregado já tiver cadastro no eSocial você deve solicitar seu código de cadastro ou pesquisar através do seu número de CPF. Assim você terá acesso ao cadastro dele e poderá atualizá-lo.

esocial

Com o eSocial em vigor para facilitar e melhorar a vida tanto do empregado quanto do empregador, é necessário que o empregador organize as informações de todos os empregados e comece o quanto antes o cadastro e atualização de todos.

Quais os objetivos do eSocial?

Um dos objetivos do eSocial é e substituir o CAGED, RAIS e SEFIP e unificar todas essas obrigações no próprio eSocial.

O eSocial também tem a finalidade de prover aos assegurados da previdência os seus direitos trabalhistas e uma segurança garantida aos trabalhadores, que os empregadores estão em dia com as contribuições.

Outro objetivo é simplificar o cumprimento de todas as obrigações tributárias, trabalhistas e previdenciárias.

Benefícios e vantagens

  • Nada mudará para o empregador, o que melhorará será que as informações estarão todas no mesmo lugar para consultas.
  • Tanto o empregador como o empregado poderão consultar seu cadastro e acompanhar se tudo está em dia e com informações corretas.
  • No cadastro do eSocial você verá todo o histórico do empregado, todas as suas admissões e demissões, a folha de pagamento, a jornada de trabalho e as alterações de horários e também as alterações de salário.

O eSocial só trouxe benefícios e facilidades ao empregado e empregador, porém é um projeto ainda pouco usado e pouco conhecido pelos empresários brasileiros. Se você é empregado ou empregador, no próprio site do e-Social contém as principais dúvidas com respostas. Ali você poderá obter todas as outras informações que precisa.

Esperamos que com o artigo de hoje sobre o eSocial você tenha conseguido todas as informações de que precisa.

Qualquer dúvida nos deixe comentários.

Minha Casa Minha Vida: Todas as informações para você

Quer realizar o sonho do imóvel próprio? Veja como o programa minha casa minha vida pode te ajudar a alcançar esse ideal!

O Minha casa minha vida é um dos programas de moradia popular mais eficientes que o Brasil jamais teve. Por meio do Minha Casa Minha Vida, Milhares de famílias Brasileiras tiveram acesso à casa própria em valores possíveis de serem pagos dentro de cada necessidade.

Vamos falar mais sobre as condições e facilidades do Minha Casa Minha Vida, seus diferenciais e eficiências, além dos procedimentos para que você possa participar desse excelente programado governo federal!

Como funciona o Minha Casa Minha Vida?

O Minha Casa Minha Vida é um programa que facilita enormemente a aquisição da casa própria pelas famílias selecionadas. Sendo atuante em diversas frentes, esse programa vem solucionando os problemas de casa própria e oferecendo ainda mais chances para as famílias beneficiadas.

É possível participar do programa Minha Casa Minha Vida existem duas faixas de renda, que têm suas próprias especificações:

Até R$R$1800,00 mensais: as famílias com até R$1800,00 de renda precisam passar por um cadastro na prefeitura da sua cidade, que será um serviço mais relacionado com a secretaria de habitação da sua cidade. Isso tudo será relacionado com o Minha Casa Minha Vida, mas resolvido pelas prefeituras.

Rendas entre R$1800,00 e R$6500,00 mensais: essas famílias possuem renda um pouco maiores também podem ter uma ajuda do Minha Casa Minha Vida, por meio de crédito facilitado para conseguir a casa própria. Esse crédito é disponibilizado pela Caixa e podem ser contratados individualmente, inclusive.

minha casa minha vida

Esses dois tipos de contratação tem suas características específicas, mas com qualquer uma das duas você tem certa liberdade em escolher quais são os imóveis que você vai adquirir com o Minha Casa Minha Vida. Uma das formas de conseguir atendimento no Minha Casa Minha Vida é associar-se a uma das cooperativas habitacionais autorizadas pela prefeitura.

Quais são as responsabilidades que você tem ao comprar uma casa pelo Minha Casa Minha Vida?

É extremamente importante ter responsabilidade com o financiamento conseguido no Minha Casa Minha Vida, já que ele é, em muitas vezes, um valor pequeno, mas precisa ser pago sempre em dia, já que a garantia do empréstimo é o próprio imóvel.

Dessa forma, tenham em mente que a parcela não pode passar de 30% da sua renda familiar e, com a simulação, você consegue desenvolver de forma inteligente o seu financiamento.

De qualquer das formas que você for acessar o Minha Casa Minha Vida, tenha sempre cuidado de estar fazendo negócio com pessoas idôneas, já que diversas vezes pessoas mal intencionadas usaram o nome do programa em golpes. Isso é especialmente importante quando falamos de ingressar em cooperativas.

Dúvidas ou sugestões de novos artigos aqui para o nosso site, podem deixar nos comentários!

Por hoje é só, até a próxima pessoal!