Segunda via carteira de motorista: Saiba aqui como tirar!

Dentre uma série de dificuldades que uma pessoa que necessita dirigir pode ter, uma das mais preocupantes é precisar tirar a segunda via carteira de motorista, principalmente porque, muitas vezes, a burocracia pode fazer com que o processo se estenda por muito mais tempo do que poderíamos esperar.

Atualmente existem diversas formas de se resolver este tipo de situação, algumas especialmente fácies, como, por exemplo, quando não é necessária nenhuma alteração de dados cadastrais.

Vamos falar mais do processo de tirar a segunda via carteira de motorista, além das facilidades e vantagens que a internet pode te oferecer nesses casos!

Como tirar a segunda via carteira de motorista online?

Vários órgãos governamentais já conseguiram otimizar o seu atendimento facilitando o processo para os usuários. Esse é o caso da CNH, Carteira Nacional de Habilitação, que pode ser requerida pelo site do DETRAN. Lá você pode encontrar todos os dados necessários para fazer o requerimento para a emissão da segunda via carteira de motorista

Vale ressaltar que para solicitar a segunda via da CNH é preciso já ser um condutor cadastrado no DETRAN, a segunda via da CNH pode ser solicitada em caso de extravio, roubo, furto, ou má conservação.

Para abrir a solicitação tudo oque você precisa é acessar o site do DETRAN, ou fazer o acesso pelo aplicativo que o DETRAN oferece, aplicativo esse que pode ser usado por tablets ou smartphones.

Caso você queria fazer a solicitação da segunda via da CNH pelo site do DETRAN o seu primeiro passo é criar um login e senha para ter acesso aos serviços oferecidos online. A partir do login feito, é possível pedir a segunda via da carteira de motorista. Como informamos anteriormente, é indispensável que os dados estejam corretos, pois a segunda via da carteira de habilitação seja entregue no endereço que está registrado no próprio documento.

As taxas para a entrega da segunda via da carteira de motorista são de R$35,00+ envio, que varia de acordo do estado onde você está pedindo a sua segunda via.

Como tirar a segunda via no caso de precisar alterar dados cadastrais?

No caso da necessidade de segunda via com alteração de dados cadastrais, se faz necessário ir até uma unidade de atendimento do DETRAN do seu estado, onde os procedimentos são relativamente similares. É necessário comparecer com um documento original com foto e a taxa permanece a mesma.

Algumas vezes a segunda via da carteira de motorista é enviada pelo correio, com o pagamento de uma taxa adicional. Verifique no seu posto de atendimento essa possibilidade.

Outro detalhe importante é que, seja online ou pedindo diretamente, existirá um intervalo de, pelo menos, uma semana, em que você estará sem a carteira de motorista. Ande com uma cópia da original quando for dirigir ou evite pegar no volante, já que dirigir sem a carteira de motorista é uma infração, que pode gerar multa e pontos na sua carteira.

O Tem de tudo vai te manter atualizado com diversas informações importantes sobre documentação e dicas incríveis sobre os mais diversos assuntos para você. Continue conosco!

DPVAT. Como encaminhar o auxílio acidente?

O DPVAT é um seguro que todos os proprietários de veículos terrestres pagam no início do ano junto com o IPVA. Esse seguro é responsável por cobrir Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Via Terrestre; ele indeniza qualquer vítima de um acidente de trânsito e pode ser solicitado por qualquer pessoa.

Quem pode solicitar o seguro DPVAT

Esse seguro pode ser solicitado pelas vítimas em três casos diferentes e em cada um deles há um valor definido para a indenização. É importante ressaltar aqui que para solicitar o DPVAT, a vítima não precisa ter um carro e muito menos ter pagado pelo seguro. Esse seguro cobre vítimas atingidas por todos os veículos terrestres e também pela sua carga. O proprietário do veículo que causou o acidente não pode solicitar o auxílio, mesmo que ele pague, pois ele é destinado a terceiros.

Como solicitar o auxílio acidente

O auxílio acidente deve ser encaminhado pela vítima nos seguintes casos: invalidez permanente e despesas hospitalares. Se o acidente gerar a morte da vítima, o encaminhamento deve ser feito pelos herdeiros e familiares. Para dar entrada no auxílio, a vítima ou a família deve ir até um posto autorizado com os documentos indicados em mãos. Os documentos solicitados podem variar de acordo com o dano causado.

O atendimento nos postos autorizados é bem rápido e se tudo der certo, a vítima recebe a indenização em até 30 dias após a solicitação.

Locais para solicitar o seu auxílio acidente

A recomendação é que o pedido do DPVAT seja feito nos postos autorizados que estão espalhados por todo país, sem a ajuda de intermediários. Um exemplo de postos autorizados são as agências dos Correios, os escritórios das seguradoras conveniadas e também os sindicatos de corretores de seguros.

Todos esses postos autorizados estão disponíveis no site do DPVAT para uma fácil pesquisa, mas ainda assim muitas pessoas preferem recorrer a um advogado para dar entrada no seu auxílio. Isso não é errado, caso você tenha muita confiança em certo advogado, pode recorrer a ele para tirar suas dúvidas e solicitar o pedido. Diversas pessoas recorrem a escritórios de advocacia que são especializados nesse assunto para saber tudo sobre o DPVAT, ao que têm direito e como prosseguir para receber a indenização.

Valores do auxílio DPVAT

Os valores recebidos dependem muito do tipo de dano causado no acidente. O DPVAT cobre três tipos: morte, invalidez permanente e despesas médicas e hospitalares. As vítimas que tiveram que gastar com despesas no médico, pode receber uma indenização de até R$2.700 reais, as vítimas que ficaram inválidas recebem uma indenização que pode chegar a R$13.500 reais e no caso de morte, o valor da indenização não pode passar os R$13.500.

Os valores podem mudar dependendo do caso e também da gravidade do acidente, visto que muitas vezes as despesas com o hospital podem ultrapassar os R$2.700 reais. O encaminhamento do auxílio pode ser feito em até 3 anos após o acidente, informe-se sobre os valores e documentos, e vá até um posto autorizado.